Páginas

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Contadores de Histórias - Edital de credenciamento

Contadores de Histórias interessados em prestar serviços na atividade de Narração Oral de Histórias nas Bibliotecas da cidade, Ônibus-biblioteca, Pontos e Bosques de Leitura da Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas devem fazer suas inscrições até dia 7 de fevereiro.
Imagem do post
Faça sua inscrição!
A Secretaria Municipal de Cultura publicou, no dia 27 de dezembro de 2014, o Edital de credenciamento de contadores de histórias para a Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas. Serão selecionados até cem contadores de histórias, que poderão ser utilizados pela Coordenadoria durante dezoito meses (com possibilidades de renovação por mais dezoito meses) para as atividades de contação de toda a rede do Sistema Municipal de Bibliotecas, incluindo todas as Bibliotecas da rede, Ônibus-biblioteca, Pontos e Bosques de Leitura.
Os interessados deverão se cadastrar até o dia 7 de fevereiro de 2015 (prorrogado).

Acesse
http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/bibliotecas/noticias/?p=17062

Até a próxima parada!
Ônibus Biblioteca: dá sinal pra Leitura e Informação

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

EDITAL DE CREDENCIAMENTO

Faça sua inscrição!

Contadores de Histórias - Edital de credenciamento Contadores de Histórias interessados em prestar serviços na atividade de Narração Oral de História
cabecalho programacao verde musgo

Contadores de Histórias - Edital de credenciamento

Contadores de Histórias interessados em prestar serviços na atividade de Narração Oral de Histórias nas Bibliotecas da cidade, Ônibus-biblioteca, Pontos e Bosques de Leitura da Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas devem fazer suas inscrições até dia 30 de janeiro.
A Secretaria Municipal de Cultura publicou, no dia 27 de dezembro de 2014, o Edital de credenciamento de contadores de histórias para a Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas. Serão selecionados até cem contadores de histórias, que poderão ser utilizados pela Coordenadoria durante dezoito meses (com possibilidades de renovação por mais dezoito meses) para as atividades de contação de toda a rede do Sistema Municipal de Bibliotecas, incluindo todas as Bibliotecas da rede, Ônibus-biblioteca, Pontos e Bosques de Leitura.
Os interessados deverão se cadastrar até o dia 30 de janeiro de 2015, enviando inscrição, contendo:
1 – Uma proposta descrevendo uma sessão de Narração Oral de Histórias com duração mínima de 50 minutos.
2 - Uma lista simples com o repertório de histórias.
3 - Uma mídia (CD, DVD, pen-drive etc) ou endereço de link eletrônico com uma gravação de uma performance narrativa de no mínimo 3 minutos.
4 - Clipping com documentos comprobatórios da trajetória do Contador de Histórias.
Para instruções e inscrição,acesse o link abaixo:

http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/bibliotecas/noticias/?p=17062

blogger custom facebook twitter
1px
©2015 BibliotecasSP | Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas. Secretaria de Cultura. Prefeitura de São Paulo | www.bibliotecas.sp.gov.br

Até a próxima parada!
Ônibus Biblioteca: dá sinal pra Leitura e Informação

domingo, 25 de janeiro de 2015

MUTIRÃO CULTURAL NA LUZ

13 DE DEZEMBRO BEM MAIS ESPECIAL

Fotos: equipe Ônibus / Texto: João B. A. Neto
Desde agosto a Secretaria Municipal de Direitos Humanos nos convidou para levar o Ônibus Biblioteca a um dos mais expressivos projetos de Cidadania nas Ruas da Luz, direcionado à pessoas que merecem resgatar a dignidade nos espaços públicos, de uma cidade tão diversa e complexa como São Paulo. Muitos devem saber sobre os quarteirões entre a Rua Helvétia, Barão de Piracicaba com a Dino Bueno, por exemplo. E uma vez por mês lá atuam os mais diferentes profissionais, em nome de igualdade, direitos e tolerância, num espaço delimitado pela amplidão de grandes necessidades de ajuda ao outro.


Muito além de dircursos, o curso ali é traçado pela demanda de atenção para outras necessidades básicas de uma riqueza cultural, por meio de mutirão, com mistura de linguagens artísticas, a busca pela estética com o embelezamento de muros e fachadas, coloridos por belíssimos trabalhos de um grafite top de linha riscado com maestria sobre o que antes era cara de abandono, incluindo oficina de floreiras capazes de ornar esquinas msssacradas pelo tom cinza, onde, depois, brotarão novas expectativas de vida, rebatizadas com flores do bem: perfumadas e delicadas.
 
E muito mais delicados são os carinhos e a atenção dispensados, seja pela equipe Ônibus Biblioteca, Casa rodante, de todos os  outros que se envolvem no mutirão, direta ou indiretamente, incluindo quem por lá passe: crianças, jovens e adultos. Pessoas dignas de vida e espaço, dignos, na cidade que acolhe a todos, sem distinção.
Parabéns a esses profissionais que reservam um tempo de dedicação ao outro, esbanjando alegria. Nesse dia, o mutirão contou também com outro Ônibus, bem curioso e interessante, chamado de Buzum, que leva espetáculos teatrais dentro do veículo. Até o próximo mutirão, em fevereiro. Lá estaremos, com muita vontade,  prazer e cheios de orgulho pela participação!

Até a próxima parada!
Ônibus Biblioteca: dá sinal pra Leitura e Informação.

PARQUE DOM PEDRO: ALASITAS E ÔNIBUS BIBLIOTECA

GRANDE FESTA BOLIVIANA

Fotos: equipe Ônibus / Texto: João B. A. Neto

Orgulhosamente, o Ônibus Biblioteca foi inserido, como convidado, na paisagem dessa Festa Cultural Boliviana, em homenagem ao Deus El Ekeko (da abundância), a qual já faz parte do calendário oficial da cidade desde o ano passado. Inúmeras barracas da gastronomia, artesanato, grupos culturais, entre outros curiosos produtos tradicionais da Bolívia, focaram a presença dessa importante comunidade na cidade de São Paulo, como sempre, acolhedora.


Foto: Paulo Illes


Com sua equipe, também sempre muito receptiva, o Ônibus Biblioteca ficou em exposição no Parque, onde as pessoas conheceram um pouco de seus serviços, de sua história, seus livros, jornais, gibis e revistas, lendo no local ou ouvindo histórias e poesias lidas em voz alta pelos atendentes, em atividades de Mediação de Leitura de Textos Literários. Uma Festa de aproximação, de união de povos. Parabéns, aos organizadores, público, participantes e colaboradores. Parabéns Bolivianos! Parabéns São Paulo: 461 anos!

Saiba mais sobre Alasitas em:

http://www.boliviacultural.com.br/ver_noticias.php?id=2770


Até a próxima parada!
Ônibus Biblioteca: dá sinal pra Leitura e Informação

SÃO PAULO: 461 ANOS - PARABÉNS

POTÊNCIA MULTICULTURAL
Foto: João B. A. Neto

Até a próxima parada!
Ônibus Biblioteca: dá sinal pra Leitura e Informação

domingo, 18 de janeiro de 2015

BELÍSSIMO TEXTO SOBRE A CIA CIRCO DE TRAPO NO ÔNIBUS BIBLIOTECA

Texto pro moço que mandou o circo de trapo vir aqui
| por Marta Nosé Ferreira

Esse poderia ser mais um dia, quase igual a todos os outros. Quase porque é o dia em que o ônibus-biblioteca está no meu bairro. E com uma novidade: terá a apresentação de um tal de Circo de Trapo. Um circo? Com palhaço, trapezista, mágico, malabarista, tenda e tudo? De trapo? Será que é feito de pano de chão velho? Resolvo ir até lá para ver do que se trata. Enganaram-me! Não tem circo nenhum. Tem só um pessoal engraçado, com umas roupas esquisitas e o mais esquisito, com livros nas mãos. Pois é! Alguém já foi em circo com livro? Eu nunca fui. E, mais uma vez, resolvi de novo ficar para ver o que era isso.

De repente, começaram a ler poesias, trechos de livros, histórias. Tinha de tudo: história engraçada, outras mais tristes, algumas que faziam a gente pensar... e eu aí, escutando, escutando e começando a gostar! Gostando, gostando e começando a sonhar! Sonhando, sonhando e começando a me divertir! Divertindo, divertindo e até me esquecendo de todo aquele monte de coisa que eu ainda tinha que fazer, de todas as coisas ruins que me acontecem, de toda essa vida difícil que eu levo e que a minha mãe insiste em dizer: “filho, se conforma, vida de pobre é assim mesmo!” Minha mãe não mente e se ela diz, eu acredito. Mas, hoje, está acontecendo algo diferente. Por uns momentos, eu consegui esquecer que sou pobre e que a minha vida é assim mesmo. Vocês acreditam que o cara que estava lendo o livro perguntou até como eu me chamo? É, assim mesmo, no meio da leitura. E antes de responder, eu pensei: pra que ele quer saber o meu nome? O que isso tem a ver com esses livros que ele está lendo? Mas, mesmo assim, bem baixinho eu disse o meu nome. Não vou dizer o meu nome aqui nesse texto, não, porque qualquer um pode experimentar a mesma coisa que eu experimentei. Nesse momento, o meu nome não importa. Não muda o que aconteceu.

Agora eu tenho certeza que você quer saber o que aconteceu: e não é que o cara me convidou para ir lá na frente, com ele, ler um pedaço do livro também? Eu acho que esse cara do circo é meio mágico, meio feiticeiro. Sabe por quê? Acho que ele foi percebendo pelo meu jeito de rir, pelo meu olhar, que aquela história que ele estava lendo era bem parecida com a vida que eu levo e que o menino do livro até se parecia comigo. Acho que foi por isso que ele me chamou lá no meio daquela gente toda para ler junto com ele. Isso mesmo, junto com ele! E a gente nem se conhecia, nem era amigo, ele nem mora lá no meu bairro... ele nem se parece comigo! Será que a vida dele é igual a minha?

Não sei dizer quanto tempo eu fiquei lá, escutando, lendo, rindo, sonhando. Mas, tenho que dizer, foi dando uma vontade tão grande de não ir embora, de guardar comigo aquela alegria toda, levar para casa e mostrar para minha mãe... E, quando eu achei que já tinha me divertido bastante, aconteceu uma surpresa: o cara dos livros disse que eu podia levar alguns para casa. Eu pirei! Sério, mano? Tipo assim, de graça? Ele me explicou como eu tinha que fazer e era bem fácil. Não bobeei. Separei logo quatro, assim, de cara. Ele até me ajudou a escolher um.

Depois desse dia, toda vez que o ônibus chega no meu bairro, eu corro até lá. Eu ainda acho que esse cara do livro era meio feiticeiro, porque depois que eu conheci ele, parece que eu fui picado por um bicho, sei lá, não consigo mais ficar sem ler, sem viajar nas histórias, sem mostrar os desenhos para a minha mãe... E ele conseguiu fazer uma mágica lá em casa, mesmo sem nunca ter ido até lá conhecer a minha mãe.

Até ela parou de dizer que vida de pobre é assim mesmo. Ela trabalha e não dá para ir no ônibus, então, eu sempre escolho um livro bem bonito e levo para ela. O meu padrasto dizia que nós somos invisíveis, que não existíamos para a sociedade. Eu não sou invisível, não, porque todo dia eu me vejo no espelho e quando eu vou chegando no ônibus, o pessoal que trabalha lá me chama pelo nome. Então, o meu padrasto já diz que parece que alguém está olhando por nós. E eu estou ficando importante: cada vez que vou no ônibus levo alguém novo comigo. Sem querer, eu penso que aprendi a fazer mágica com o cara do circo. Abro um livro, mostro as figuras, leio o que está escrito, penso um monte de coisas, sinto coisas bem diferentes e faço um desenho só meu dentro da minha cabeça. E não é que a vida ficou mais alegre, mais bonita e mais colorida?

Então, gente, eu só tenho um pedido a fazer: Circo de Trapo, volta outra vez? Quero aprender outras mágicas e mostrar para os meus amigos! Minha mãe diz que não é assim: vocês não podem vir toda hora, tem que ir em vários outros lugares, para fazer mágica para outras pessoas. Algumas pessoas riem da gente, mas eu não ligo. Magia é assim mesmo, tem que acontecer com a gente para a gente acreditar! Então, caras do Circo de Trapo, quando vocês voltarem, eu estarei lá esperando e podem acreditar que vai ser incrível, mágico mesmo! Eu só acho que esse nome de vocês é meio estranho: vocês deviam colocar algo mais bonito. Mas, quem sabe se ficar muito chique, as pessoas não vão achar que é para elas, né? Trapo parece coisa de pobre! Ai, olha eu, de novo, pensando que nem a minha mãe! E foi assim, lendo, que eu tomei a coragem de escrever esse texto para pedir para o moço que mandou o Circo de Trapo vir aqui, mandar eles outra vez. Essa mágica que eles fizeram comigo pode acontecer também com outras pessoas! É isso!

Marta Nosé Ferreira é bibliotecária; atualmente trabalha como Assistente de Direção da Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas, da Secretaria Municipal de Cultura.

Para outros belos textos, acesse:




CIA CIRCO DE TRAPO NO ÔNIBUS BIBLIOTECA
Cia Circo de Trapo: roteiro União de Vila Nova, Zona Leste, abril de 2012

Apostar na variedade e qualidade de livros bem legais. Colocá-los abertos diante da pessoa e perguntar: posso ler pra você? É assim que se inicia a sensibilização capaz de despertar o interesse em ouvir belas histórias lidas, com muito prazer, pelos integrantes da Cia Circo de Trapo e pela equipe do Ônibus-Biblioteca às pessoas que por lá passam.


Ler para o outro, em voz alta, faz parte da Mediação de Textos Literários. E não há como resistir a esse gesto tão simples e tão belo. Eis o pequeno relato da equipe:

"Foi um encontro muito bacana,além da mediação,foi uma troca de experiências. Cada um doou aquilo que têm de melhor,por isso o resultado não podia ser outro. Espero que Cia.Circo de Trapo,nas pessoas da Vera e do Marco,tenham se sentido acolhidos e nós do Roteiro Leste III,estamos abertos ao aprendizado sempre. Parabéns á tod@s em especial a Renata e Cássio pela dedicação".

Até a próxima parada!
Ônibus Biblioteca: dá sinal pra Leitura e Informação

domingo, 11 de janeiro de 2015

CULTURA POPULAR TRADICIONAL PAULISTA

EM FEVEREIRO E MARÇO, NOS ÔNIBUS BIBLIOTECA
Cultura popular tradicional paulista     
Com Elizabeth Cavalcante da Cia Luz Cênica
Projeto viabilizado pelo ProAC, traz a personagem Japoracyra – Rainha do Congo apresenta as raízes da cultura popular tradicional paulista com causos, contos, adivinhações, lendas, anedotas, cantigas dos caipiras, caiçaras, indígenas e quilombolas. Duração: 60 minutos


Dia 1º de fevereiro às 13h – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Vila Medeiros
Dia 3 de fevereiro às 13h – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Jardim Camargo 
Dia 4 de fevereiro às 11h30 – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Jaraguá 
Dia 5 de fevereiro às 13h – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Jardim Olinda 
Dia 6 de fevereiro às 12h30 – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Jardim Reimberg 
Dia 7 de fevereiro às 13h – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Jardim Colorado 
Dia 8 de fevereiro às 13h – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Jardim Joana D’Arc 
Dia 24 de fevereiro às 12h – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Vila da Paz 
Dia 25 de fevereiro às 14h – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Parque Grajaú
Dia 26 de fevereiro às 12h30 – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Jardim Sarah
Dia 27 de fevereiro às 12h30 – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Parque Vila Maria
Dia 28 de fevereiro às 13h30 – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Ponte Rasa

Dia 1º de março às 13h – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Colônia (Vargem Grande)
Dia 3 de março às 13h – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Parque Novo Mundo
Dia 4 de março às 12h30 – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Vila São José 
Dia 5 de março às 10h – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Vila Penteado
Dia 6 de março às 12h – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Parque São Rafael 
Dia 7 de março às 13h – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Jardim Ramala 
Dia 8 de março às 13h – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Cidade Tiradentes 
Dia 10 de março às 13h – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Jardim Elba
Dia 11 de março às 13h – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Jardim D’Abril 
Dia 12 de março às 12h30 – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Itaim Paulista
Dia 13 de março às 11h30 – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Jardim Ladeira Rosa
Dia 14 de março às 13h – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Jardim Miriam 
Dia 15 de março às 13h – Ônibus-Biblioteca | Roteiro: Jardim Sapopemba 2


Informações sobre os ônibus-biblioteca e endereços dos roteiros em 


Até a próxima parada!

Ônibus Biblioteca: dá sinal pra Leitura e Informação