Páginas

domingo, 17 de novembro de 2013

PASSAGENS CORDELIANAS DE CACÁ LOPES PELO ÔNIBUS BIBLIOTECA

Texto: João B. A . Neto 

As imagens abaixo revelam um pouco de Cacá Lopes ao se apresentar em alguns roteiros dos Ônibus Biblioteca. Esse grande artista encanta pela descontração, pela música, pela simpatia, pelos instrumentos: violão e gaita. Enfim, pela Arte do Cordel que, nos Ônibus, é o seu foco, sempre cantando a importância da Leitura, também.




Cacá é como se fosse um canário cantando Cordel. E ele já bateu suas asas cordelianas rumo a vários pontos de atendimento dos Ônibus Biblioteca. Além de seu inseparável violão, tocado de maneira inovadora, esse animadíssimo Cordelista, um dos mais representativos dessa Arte Literária, traz um jarro cheio de Cordel, para que todos possam beber um pouco de versos, como se fossem água cristalina, cheios de rimas e de histórias encantadoras, por onde passa. Vale destacar, como escritor, o seu mais recente trabalho: a história de Cinderela, em Cordel. 




É impossível ficar mudo diante deste refrão, bem simpático, lúdico e musical: o que é que Cacá Quer? Cacá quer caqui. Que caqui que Cacá quer. Cacá quer qualquer caqui ou não se sensibilizar ao ouvir o seu Pavão Misterioso. Isso é Cacá: um artista, uma alma feita de belos versos, em Cordel, um violão tocado com uma só mão, que encanta um, dois, três e multidões. E que logo logo pousará em outros Ônibus Biblioteca.



Até a próxima parada!

Ônibus Biblioteca: dá sinal pra Leitura e Informação

Nenhum comentário:

Postar um comentário